Jesus transformou meu caráter...saiba mais...

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

MINHA HISTÓRIA 25º PARTE - LUTA CORPORAL COM A MALDITA VOZ



Separada definitivamente vivia como a “maldita voz” queria, livre 100% para ser destruída e destruir.
Sofria com crises terríveis de enxaquecas duas ou três vezes no mês, o médico passou um remédio controlado chamado Cefalium, comecei a fazer o tratamento e a ter atitudes de uma louca, mas eu sabia que eu não era louca, então abandonei o tratamento por contra própria com medo de ficar louca definitivamente.
Assumir um relacionamento sério com um dos amigos do meu ex esposo, que já vinha-mos tendo um caso a alguns meses. O tratava como noivo e fazia com ele tudo que fiz com meus ex esposo. Passei a ser mais perseguida pela a “maldita voz” e seus comparsas junto com meu filho.
Eu e o meu filho podia ouvir, ver e sentir a sua presença constantemente. Era assustador, socorria o meu filho quando era atormentado, mas escondia de todos os meus tormentos... Viver uma vida de aparência é terrível!!!
Uma dessas noites de tormentos, passei o dia inteiro vendo meu filho sofrer com um dor que o fazia arrastar de uma das penas e andar encurvado como um velhinho. Fui deitar por volta das 22hs, meu filho dormia ao meu lado, quando de repente, algo pulou sobre mim com a mão sobre o meu pescoço falou no meu ouvido: Já peguei o seu filho agora é a sua vez!!!
Pude sentir seu “bafo” quente na minha orelha!
Começou a me estrangular, travei uma luta tentando me soltar mas nada do que fiz deu certo até que lembrei do nome de Jesus e gritei por Ele em pensamento com toda a minha força a “maldita voz”, é quem estava tentando nos matar com a sua próprias mãos naquela madrugada. Quando entendi isso levantei da cama desesperada fui em direção ao guarda roupa procurar a única coisa que tinha para me salvar a Bíblia que tinha ganhado da minha mãe que tinha sido obreira.
Ela estava escondida dentro de uma caixa de sapato no meio de um bocado de papeis velho debaixo de um monte de roupa nos fundo do guarda roupa, não me lembro como ela foi para lá.  Eu jogava tudo no chão desesperada, chorando e tremula. Quando a encontrei parecia que eu estava vendo o próprio Deus.
Meu filho ainda dormia, eu abrir no salmo 91 porque lembrei que minha mãe me disse que era um salmo de livramento, era o que precisava naquele momento, ser livre da morte. Li o salmo e a medida que lia fui me acalmando, minha respiração ficou normal, tive certeza que estava livre, olhei para meu filho e pensei: Eu estou livre e ele?
Me subiu uma revolta tão grande daquela desgraçada, derrotada da “maldita voz” que coloquei minhas mãos na cabeça dele, sem pensar em nada e grite: sai dai agora, solte meu filho em nome de Jesus! Ele começou a tremer e a se debater na cama, a perna que ele não conseguia mover, agitou-se com fúria e eu tirei as mãos da cabeça dele acompanhada de um grito: Sai! E meu filho respirou fundo e continuou a dormir.
É isso mesmo, eu expulsei a “maldita voz” do corpo do meu filho e ela foi obrigada a largar ele naquela noite, eu dormir em paz como nunca tinha dormido. Mas não tinha idéia do que me aguardava a partir desse dia.

No dia seguinte, voltei as práticas das más obras, livre daquele pavor da noite, entreguei-me por completo ao mundo e consequentemente a “maldita voz”.

Passei a sofrer de insônia, levava meses sem dormir, meu filho passou a sofrer mais acidentes ainda. Acontecia coisas diabólicas com ele, eu não sabia que tinha mostrado para “maldita voz” que um dia seria o que me tornei hoje naquela madruga. Hoje tenho certeza que ela ficou desesperada e começou uma corrida contra o tempo para tirar minha vida antes que fosse tarde demais para ela.
Desenvolvi uma doença chamada pavor noturno, não queria mais ir para casa a noite, saia do trabalho e ficava vagando pelas ruas até o último ônibus passar. As vezes ia para barzinhos, saia com algum homem, ia para motéis, para algum lugar que me afastasse de casa.
Sempre que chegava em casa tinha a sensação que tinha um monte de gente tentando me matar, olhava os cantos da casa toda hora, olhava debaixo da cama, da mesa, das portas de qualquer lugar que eu achava que dava para se esconder uma pessoa, já cheguei até a olhar debaixo da geladeira, kkkk hoje eu dou risada quando lembro disso, mas era terrível! Quando deitava para dormir, quando eu não era usada por um espírito, eu era atormentada com a certeza que se eu fechasse os olhos eu morreria, então resistia o cansaço e não dormia com medo.
Nessas alturas eu tinha entregue meu filho ao pai dele, e morava sozinha, as minhas noites eram muito longas, estava sempre casada, desanimada e com uma tristeza profunda que tentava esconder com uma vida de “curtição” regada de muita bebidas e homens.

Posso imaginar as pessoas que vivem assim hoje, achando que estão doentes ou que estão ficando louca. Elas escondem isso porque tem vergonha que as pessoas as chamem de louca e seja confirmada o temor delas.
Não viva mais assim Busque Ajuda! Isso é causado por um espírito maligno que quer ver seu sofrimento e por fim levar sua alma.


JESUS PODE LHE DAR MUITAS NOITES DE SONO TRANQUILA COMO ELE TEM ME DADO...

Continua....

MINHA HISTÓRIA 23º PARTE - FUNDO DO POÇO

As brigas eram inevitáveis mesmos estando separados fisicamente, as desconfianças, as mentiras faziam de minha vida um inferno, um desespero total de vida. Planejava a minha morte e do meu filho diariamente. Aos poucos ele foi descobrindo as coisas que eu fazia e tentou me matar, foi horrível... Ele me empurrou em cima de uma mesa de vidro e Deus colocou a mão e eu não cai em cima dessa mesma, ele pegou uma faca e veio para cima de mim, eu fechei meus olhos e gritei por Deus, quando eu abri os olhos ele estava parado com a faca na mão, e assim mais uma vez escapei da morte por frações de segundos.. ainda posse ver o seu rosto enfurecido vindo para cima de mim... foi o pior dia da minha vida.
Nesse dia chorei amargamente, chorei como nunca tinha chorado...a minha vida acabou ali, eu achava que toda as esperança de um dia ser feliz foram trancadas nesse dia, as descobertas dele me fez ter certeza que nunca mais eu teria nenhuma chance de ser feliz com ele e com mais ninguém.
Na outra noite ele apareceu em casa e me torturou a noite inteira. Ele dava murros em meus pés e em minha cabeça para não deixar marcas visíveis. E dizia em meu ouvido, hoje você não dorme... Foi uma das piores noite da minha vida, ele tapava minha boca para eu não gritar, apanhei a noite toda. No outro dia fui trabalhar, sem saber o que ia fazer da minha vida, pois a mesma tinha se tornado um inferno e eu não mais queria fazer parte dela...e não via uma saída. Todas as noites de curtição, prazeres, amigos, bebidas... nada disso me fez escapar daquele terrível momento. A morte me parecia a única saída...

Tinha uns colegas de trabalho que eu podia ver os risos zombadores mesmo sem eles saber o que está acontecendo, um deles sempre me imobilizava quando eu estava no corredor deserto... era horrível ele fazia todo tipo de ameaça e sempre dizia que eu era dele...que se eu aceitasse sua proposta eu teria tudo o que eu quisesse. Eu morria de medo dele. Nesse dia ele sentou a o meu lado e ria repetindo meu nome várias vezes.. assustador!! 
Hoje sei que a "maldita voz" era quem estava ali, zombando de mim....

NÃO SOFRA MAIS 
BUSQUE AJUDA!!!
AGORA!!

MINHA HISTÓRIA 22º PARTE - APAIXONADA POR MIM MESMA

Meu casamento não servia mais para nada, apenas nos víamos alguns minutos por dia. O desejo por mulheres ia aumentando, mas não aceitava isso, sabia que esse desejo era contrário a natureza de Deus. A “maldita voz” me convenceu de que se eu alimentasse esse desejo não era a mesma coisa de por em prática, e que era prazeroso. Aos poucos fui abrindo a guarda e passei a ver fotos na internet de mulheres e sonhar em elas como objeto de prazer, passei olhar os detalhes do corpo das mulheres na rua e a desejar-las. Em paralelo me sentia nojenta, envergonhada, ficava muito triste e queria morrer para não me tornar o que a “maldita voz” queria que eu fosse...
Um dia olhando-me no espelho manifestei novamente com a “maldita voz” ela me fez olhar cada detalhe do meu corpo, da mesma forma que eu olhava a das mulheres na rua e confessou o enorme desejo que ela tinha pelo meu corpo. Era como se eu estivesse desejando a mim mesma. Fiquei muito confusa nesse dia, a “maldita voz” declarou o “amor” que ela tinha pelo meu corpo e como ela me queria para sempre....como era glorioso para ela me ter... eu era um troféu em suas mãos.... e de muito valor!
Achei tudo isso estranho mas logo me distrai com pensamentos e desejos e esqueci. Sempre pensava naquele dia eme perguntava: Como eu poderia ter tanto prazer em ser dona do meu próprio corpo?
O mais assustador é que a “maldita voz”, trabalha de uma forma que nos convence que somos nós mesmo que pensamos tudo isso, eu me achava o pior ser humano da face da terra porque achava que aqueles horríveis pensamentos eram meus e que tudo que eu fazia vinha de dentro de mim, que eu era uma criatura podre de nascença. 
Vivi pouco tempo na pureza..., minha pureza foi violada com apenas seis aninhos... desse dia em diante não soube mais o que era ser criança feliz e chia de graça, tudo que fazia girava em torno das vontades da “maldita voz”....
Tornei-me intima da “maldita voz", mas o que eu queria mesmo era ser eu, buscava no meu ser uma razão para ser eu, um espaço onde eu pudesse me encontra e me encaixar como um ser humano normal e ser feliz. Nunca encontrava a Aracele que queria ser, ela estava perdida nas podridões da "maldita voz"...
Comecei a ficar mais dissimulada ainda, mais mentirosa, mais sínica, e mais pertubada, vivia em função do meu corpo, frequentava academia, cuidava dele como se fosse a coisa mais preciosa que eu tinha.
Passei a fazer loucuras..., passei a fazer coisas que nunca pensei em fazer, não tinha medo de andar pelas madrugadas, não media esforços, não tinha tempo ruim, e nem muito menos distancia, a única coisa que me importava era servir a “maldita voz” que eu achava que era as minhas vontades.
Passei a fazer coleção de peças intimas, a maioria delas vermelhas, as guardava com carinho e cuidado, só as usava quando a “maldita voz” mandava.
Eu  não sabia, mas minha coleção era a coleção das pombas giras que estavam em minha vida. Sempre que as vestia, me transformava. As vezes as minha amigas ia em minha casa e eu costumava presenteá-las com essas peças, passando a maldição sem saber, achando que eu estava agradando-as... A cada peça que eu presenteava...a “maldita voz’ gargalhava dentro de mim...
Um dia antes de eu publicar esse post, encontrei o rapaz que foi usado pela “maldita voz” para roubar minha pureza aos seis anos... olhei bem em seus olhos, ele ficou tranqüilo, parecia que meu olhar na fazia diferença nenhuma. Uma jovem com idade média de 10 a 13 anos sentou ao meu lado, olhando sempre para as perninhas dela, meio que desconfiada, isso me chamou a atenção. Comecei a observar-la e percebi que os traços do seu rosto era igual ao do rapaz que abusará de mim... e fiquei a pensar, será que ele faz isso com a sua própria filha?

Não consegui sentir nenhuma raiva dele, apenas amor por ele e pela aquela criança... amei a alma dele e orei por eles..., porque cedo ou tarde o pecado vai apodrecer os ossos dele.... se ele continuou ou não, não sei, só sei que a minha vontade era dizer para aquela criança que ela não estava só que Jesus podia ajudar-la e livrar ela dessa situação, mas calei-me... afinal eu poderia causar uma situação muito difícil para mim e para a família dela .... Mais eu creio que se ela estiver sofrendo o que eu sofri, Deu vai dar um jeito de colocar-la em meu caminho e eu vou fazer de tudo para ajudar-la.

Se você está sendo vitima de abuso, ou foi e isso lhe trouxe uma consequência e tudo o que mas quer é ser livre disso. 

BUSQUE AJUDA!!!
QUANTO MAIS VOCÊ ESCONDE ISSO MAIS VOCÊ SOFRE...

Você pode começar indo numa Universal mais próxima de você e pedir ajuda!

NÃO DEIXE A MALDITA VOZ ROUBAR SUA ALEGRIA COMO ROUBOU A MINHA DURANTE 28 ANOS....

Já estou nos posts, finais.....continue acompanhando essa triste história que tem um alegre final feliz.....

domingo, 12 de janeiro de 2014

MINHA HISTÓRIA 21º PARTE – CAMINHO LIVRE PARA O INFERNO

Esse meu amigo que se drogava e fazia parte de uma quadrilha perigosa, me falava da casa de prostituição, contava coisas que me faziam parecer um lugar legal, comecei a ter vontade de ir lá.
Nessas alturas meu esposo não dormia mais em casa. Meu amigo me ligava a noite quando estava na casa de prostituição, ficava horas e horas falando comigo, botava as meninas para falar comigo e eu ficava morrendo de vontade de ir, elas pareciam tão felizes e poderosas....mas algo me prendia, e esse algo era meu Senhor que cuidou de mim a todo instante. Nessas ligações ele me seduzia, tentando me convencer que a pessoa que ele mais queria ali naquele momento era eu, e eu achava isso o máximo, ele narrava com detalhes tudo o que as meninas faziam com ele.... mas todas as vezes que eu marcava para ir, não conseguia dar certo. Até cheguei várias vezes na porta, mas não consegui entrar. Minhas pernas travavam bem na porta e ele ficava ali tentando me convencer a entrar e eu sempre saia correndo.
Minha mãe saiu da IURD e minha vida virou um inferno, porque ela passou ser a minha inimiga, passou a me perseguir, a levantar calunias embora eu praticasse muitas coisas erradas, mas sempre o que ela falava nunca era verdade. Ela passou a criar histórias terríveis, a me acusar de traições com pessoas e em locais que nunca frequentei. Isso foi me causando mais e mais revolta, fui fazendo as coisas com mais firmeza achando que estava me vingando dela. Como eu era idiota!!!!
Me entreguei profundamente as podridões.
Numa dessas noites meu amigo que fazia parte da quadrilha que roubava muito dinheiro, estávamos num barzinho e ele me convidou para ir na casa dele, pegamos uma condução, ele estava muito drogado, no caminho Deus falou forte comigo, com toda paciência ele me convenceu que se eu chegasse no local onde esse rapaz queria me levar eu nunca mais sairia de lá. Comecei a ficar desesperada e falei para ele que eu ia descer do ônibus porque não queria mais ir porque era muito tarde, ele começou a me xingar dos piores nome e me ameaçar se eu desistisse. Quando o ônibus parou no ponto sair correndo e ele me xingava alto e todos me olhavam. No outro dia eu o encontrei e pergunte se ele estava zangado comigo, ele nem lembrava do que tinha acontecido, resumindo eu estava andando com o próprio demônio naquela noite e Jesus mais uma vez me livrou da morte.